Lusofonia, Cabo Verde, www.gastronomias.com

Lusofonia - CABO VERDE

  • Colaboração: do livro Cozinha Tradicional Portuguesa da Editorial Verbo
        Imprimir

"Se não sois capaz de um pouco de feitiçaria, não vale a pena meter-vos a cozinheiro". Sidonie Gabrielle Colette, França, Escritora

CABO VERDE

Lusofonia



Pub

Pub

Pub



República de Cabo Verde

Capital: Praia
Superfície: 4 033 Km2
População: 483.000 (2003), 812.000 (2050)
Densidade da população: 81 hab./Km2.
Taxa anual de crescimento natural: 2,3% (entre 1980-1985).
Cidades principais: Mindelo, São Filipe
Grupos étnicos: mestiços (71 %), pretos (28 %) e brancos (1 %).
Línguas: português e crioulo.
Religião: católica (95 %).
Principais Exportações: sal, bananas, conservas de peixe e peixe congelado.
Fronteiras: Cabo Verde é um arquipélago da África Ocidental situado a 500 km da costa ocidental africana em direcção ao Senegal e ao promontório africano donde provém o seu nome.
Tem fronteiras marítimas a oeste com o Senegal, Mauritânia, Gâmbia e a Guiné-Bissau. Tem uma das maiores Zonas Económicas Exclusivas Marítimas de África.

Descrição física do território e clima: Cabo Verde é um arquipélago constituído por dez ilhas; sendo a maior, a ilha de Santiago com uma superfície de 930 km² e a de menor dimensão a ilha da Brava e encontra-se dividido em duas regiões: Sotavento e Barlavento.

No Barlavento encontram-se as ilhas de Santo Antão, São Vicente, Santa Luzia, São Nicolau, Sal, Boavista e os ilhéus Branco e Raso e no Sotavento as ilhas de Santiago, Fogo, Brava, Maio.

De origem vulcânica, as ilhas mostram em geral topografias muito acidentadas, com vales de vertentes abruptas, profundos e ramificados. Todavia, as ilhas mais orientais (Sal, Boavista e Maio) têm topografias muito suaves, com predomínio de áreas planas de onde elevam-se isolados cones vulcânicos erosivos.

Pela sua posição, Cabo Verde está sujeito ora às influências climáticas da faixa de baixas pressões equatoriais, ora às altas pressões subtropicais, ao largo da zona desértica da África Setentrional, de onde sopram ventos quentes e secos, sobretudo em Janeiro e Fevereiro.

Durante poucos meses do ano, de Agosto a fins de Outubro, as ilhas são atingidas pelas massas de ar pluviogénicas da convergência inter tropical: é o período das "águas", que é mais quente e com brisas irregulares. Em contrapartida, o período das brisas, seco e de tempo fresco, é mais longo, ocorrendo de Novembro a Julho.

O clima é de tipo quente, tropical seco, com chuvas irregulares, que podem ser demasiado escassas durante longos períodos de tempo. A vegetação natural é rara, em especial nas regiões baixas e áridas, mas durante o período das chuvas, o ambiente altera-se completamente com o aparecimento de plantas herbáceas que cobrem as zonas de altitude, enquadrando-se no arquipélago da Macaronésia.

Encontra-se em Cabo Verde a maior percentagem das espécies vegetais endémicas, especialmente o Marmulano, o Dragoeiro, a Tamareira cabo-verdiana, a Língua de Vaca, o Tortolho, o Lantisco e a Losna, são plantas de origem sudano-saheliano (espécies da África tropical, principalmente das zonas do Sahara) como a calabaceira, o poilão, o tamarindo, a figueira brava, o zimbrão, o espinho branco, o bombardeiro e o barnelo.

Em termos de fauna, existem perto de cento e cinco espécies de aves terrestres e marinhas, das quais cerca de quarenta e duas reproduzem localmente, neste conjunto, vinte e quatro espécies e variedades são endémicas, das espécies consideradas úteis, há Tchotas (aves insectívoras), pardal de algodoeiro, pardal da barbaria, passarinha de pena azul, falcão, francelho ou falili, coruja, corvo, garças e calhandra do ilhéu Raso, das espécies raras ou em via de extinção convém salientar pato marmoreado, saltador e asa curta ou milhafre, o falcão, a francelha e o minhoto.

Como acontece em muitos países tropicais, em Cabo Verde, as águas marinhas são povoadas por grandes variedades de espécies, a maior concentração está localizada na zona oriental do arquipélago - Sal, Boavista e Maio - por se encontrar na rota das migrações dos tunídeos, durante alguns meses do ano estas espécies são relativamente abundantes, constituída principalmente por Albacora e o Patudo, entre os tunídeos migradores destaca-se o Gaiado (que atravessa Cabo Verde de Julho a Novembro).

Em Cabo Verde existem cinco espécies de Tartaruga: Tartaruga verde, Careta ou Tartaruga vermelha, Tartaruga de casco e a Tartaruga parda. Existem quatro espécies de Lagosta: Scyllarides latus, Panulirus echinatus, Panulirus regius e Palinurus Charlestoni (esta última é uma espécie endémica de Cabo Verde onde é vulgarmente conhecida por lagosta rosa).


Cabo Verde,

Arquipélago constituído por dez ilhas, apresentadas em dois grupos, o Barlavento (Santo Antão, S. Vicente, Santa Luzia, S. Nicolau, Sal, Boa Vista e os ilhéus Branco e Raso) e o Sotavento (Maio, Santiago, Fogo, Brava e os ilhéus Grande, Luís Carneiro e Cima).
Situado a 500 km a oeste do cabo com o mesmo nome, o arquipélago de origem vulcânica, emerge de uma profundidade de 2500-3500 m, tendo a última erupção ocorrido em 1951, na ilha do Fogo.
Descobertas provavelmente em 1460, as ilhas orientais e meridionais e, em 1462, as restantes, foram povoadas apenas a partir do século XVI, por portugueses da metrópole que levaram gado, árvores de fruto (figos, uvas, melões) e cereais (milho e arroz). Posteriormente foram introduzidas outras culturas (algodão e açúcar) originárias da América e do Oriente, constituindo, ainda hoje, a agricultura e a base da economia.
As ilhas de Cabo Verde foram províncias portuguesas ultramarinas desde 1951 até 1975, ano em que se tornaram independentes.


Copyright © - 1997 Roteiro Gastronómico de Portugal -International WebMasters, Ltd.


Fonte das receitas:
Editorial Verbo
Região de Turismo do Algarve
Câmara Municipal de Portimão
Câmara Municipal de Sernancelhe
Câmara Municipal de Covilhã
CâmaraMunicipal da Figueira da Foz
Câmara Municipal de Condeixa
Câmara Municipal do Porto
Câmara Municipal de Santarém
Câmara Mun. de V. Velha de Rodão
Roteiro Gastronómico de Portugal



Voltar à página Principal dos Sabores da Lusofonia


| Angola  |  Brasil  |  Cabo Verde  |  Galiza  |  Guiné Bissau  |  Goa, Damão e Diu  | 
  |  Macau   | Moçambique  |  Portugal  | S. Tomé e Príncipe  |  Timor Leste  | 

Publicidade...


Autora Felícia
Sampaio

Editora culinária do Gastronomias (Roteiro Gastronómico de Portugal) desde 1997. "Sou apaixonada por gastronomia e quero transmitir-lhe essa paixão nas minhas receitas tradicionais, comida de conforto e sobremesas soberbas"...

Publicidade




Siga-nos...