Conheça o que mudou na nova Roda dos Alimentos e aprenda a comer de uma forma mais variada, equilibrada e completa.

A Roda dos Alimentos é um instrumento de educação alimentar destinado à população em geral.
Esta representação gráfica foi concebida para orientar as escolhas e combinações alimentares que devem fazer parte de um dia alimentar saudável.
Utilizada desde 1977, como parte da Campanha de Educação Alimentar “Saber comer é saber viver”, a Roda dos Alimentos sofreu recentemente uma reestruturação, motivada pela evolução dos conhecimentos científicos e pelas alterações nos hábitos alimentares portugueses. Mantendo o formato circular original, associado ao prato vulgarmente utilizado às refeições, a nova versão subdivide alguns dos anteriores grupos e estabelece porções diárias equivalentes, para além de incluir a água no centro desta nova representação gráfica. A nova Roda dos Alimentos é composta por sete grupos, com funções e características nutricionais específicas: Cereais e derivados, tubérculos – 28%
Hortícolas – 23%
Fruta – 20%
Lacticínios – 18%
Carne, pescado e ovos – 5%
Leguminosas – 4%
Gorduras e óleos – 2%
Dentro de cada divisão estão reunidos alimentos nutricionalmente semelhantes entre si, para que possam ser regularmente substituídos, assegurando a variedade nutricional e alimentar. No site da Direcção-Geral da Saúde estão disponíveis mais informações sobre a roda dos alimentos e outras informações sobre alimentação, tais como: as recomendações nutricionais e alimentares para a população portuguesa, princípios para uma alimentação saudável, como diminuir o consumo de gordura, açúcar e sal, e como aumentar o consumo de hortaliças, legumes e frutos.

---------------------------

Legumes - 7 Dicas

Na loja, escolha os legumes mais frescos.
Ao prepará-los em casa, rejeite as folhas murchas.
Evita assim a transformação de nitratos em nitritos. Prefira legumes da época, para evitar os cultivados em estufas, que tendem a acumular mais nitratos. Elimine folhas externas e nervuras dos legumes, dado estas serem mais ricas em nitratos.
Esta operação reduz em 30% o teor em nitratos. Lave com cuidado uma a uma as folhas em água corrente. Desta forma, elimina em parte nitratos e nitritos, compostos muito solúveis na água. Mantenha os alimentos refrigerados, dado as bactérias que convertem os nitratos em nitritos se multiplicarem rapidamente à temperatura ambiente. Não reaproveite a água de cozedura dos vegetais ricos em nitratos para elaborar sopas ou puré.
A cozedura pode reduzir o teor em nitratos entre 20 a 75 por cento. Não reaqueça legumes cozidos com antecedência, dado que estes aumentam a proporção de nitritos.
Varie no tipo de vegetais. Por exemplo, nas saladas use diferentes tipos e alface e inclua tomate, pepino e pimento. O feijão verde, a abóbora, e a couve de Bruxelas tendem a acumular menos nitratos.
É uma boa opção para a sopa das crianças.
Evite consumir legumes ricos em nitratos todos os dias.

In Proteste

-----------------------------

| Voltar à Página  PRINCIPAL |

 
Sugestões: Roda dos Alimentos  |  Glossário  |  Conselhos e TruquesJantar a Dois

Roteiro Gastronómico de Portugal - Gastronomias.com

Fundado : Março, 1997 - Localização : Calçada da Tapada 163B - 1300-542 Lisboa - Portugal
- tel.+351 960 064 967 - email:webmaster@gastronomias.com

O Gastronomias.com é um vortal vertical, política e economicamente independente.
Não são publicadas neste site, sob a forma de texto, imagem, publicidade, informações de carácter racista, pornográfico, segregador ou de qualquer tipo com o intuito explícito de ofensa.

Destaque da Semana